segunda-feira, 31 de outubro de 2011

a última vez que isto aconteceu

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

american horror story, can this became a cult show???

has this weird vibe like twin peaks (ok, not that much)
there's jessica lange, frances conroy (both of them with roles in previous cult shows or movies)... and for the gays plenty of dylan mcdermott naked butt...ok there are stupid characters, like the daughter played by taissa farmiga (totally outcast) and some dull moments (te obsession of telling a story about the house, and her past, instead of letting her speak for herself, like a full character, a non-human character with life)... overall very very good... and haunting...



faces who made fashion (some of them)







































burning fire


serena RULEZZZZZZZZZZZZZZZ

rock the winter in leather and knit

fatima lopes winter11.12

a propósito da re-edição do espectacular Dntel - Life Is Full of Possibilities (Full Deluxe Album Stream)

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

no comments


Virgem do Carmo, Mãe dos pobres e dos Mártires da América Latina, assim como ouvistes a súplica de Santa Teresa Benedita da Cruz e de São Simão, inclinai propício Vossos ouvidos às minhas preces e aos meus pedidos (fazer o pedido).
Rainha da Paz e Mãe dos Missionários, cobri-nos com o Vosso manto sagrado, revesti-nos com o Santo Escapulário. Graças Vos dou por me haverdes atendido.



u gotta see this

about remixes

now the original music



lego crazy catwalk


up all night watching this, i cried

rear view from my balconie - autumn miracles




domingo, 23 de outubro de 2011

pyramid-pyramiddd-starfucker 2

pyramid-pyramiddd-starfucker

maggie smith as violet crawley in downton abbey

sarcasm PERFECTION

blonde sunday - remember

remember

o cerco dentro do cerco, e a caixa de pandora

vasco câmara (editor/crítico/anti-televisão sob qualquer pretexto) diz de panahi, "é um realizador cercado"... vejamos, se há um regime no país, o irão neste caso, todas as pessoas estão cercadas, tudo o que se pode inferir de um regime, é exactamente isso, um cerco, não é preciso um senhor realizador usar os seus concidadãos para o provar, excepto com condicionantes (caso contrário não é cinema, é informação de telejornal)... onde está a magia do cinema de jafar, quando o cinema é um regime chauvinista (bem retratado), anti-sexualidade (bem retratado), anti-liberdade de expressão (novamente bem retratado) mas que se fica pelos retratos (o tal cerco), e a ressaca, a função social do seu cinema??? que espécie de sintoma sórdido é este do crítico ocidental coquete (sentadinho na sua secretária a debitar analogias e assumpções abstractas, é como o olhar dos retornados transporto para a "nova vaga" iraniana) isto não é um filme???, pois não, é um iphone americano a servir mentes perversas ocidentais (de encomenda), são reportagens de guerra para telejornal das 8!!! se o senhor quer fazer alguma coisa pelo país utilizando o cinema, não é enviando filmezinhos da treta em pen's através de pastelaria (alguém acha que se o regime se importasse com jafar ele poderia de ânimo leve enviar pen's com divagações indigestas) para os críticos em cannes ou veneza apludirem de pé, é quase apludir o regime, é preciso tocar a ferida noutros pontos e ele (jafar como cineasta que é) tem esse dever porque vive dentro do tal cerco, mas ele não o faz, nunca fez, nem está interessado. sejamos honestos, alguma coisa mudou no irão com o cinema desse senhor (falo das pessoas na rua, do povo, o coração do país)??? a resposta é simples: NÃO. como espectador o que posso pensar depois de assistir ao cinema deste senhor, que são um bando de chupistas obcecados e que nós somos os hipócritas que consumimos esse olhar do senhor sobre o povo, como se a arte estivesse no sofrimento ou na imposição de uma câmara que os cerca os desconhecidos que são actores de improviso, no limite, jafar passa de libertador a impositor de um cerco com uma câmara às costas, um cerco dentro de um cerco, uma caixa de pandora à espera de ser aberta pelo ocidente, e isso nunca pode ser bom, quanto mais cinema, que é a arte da liberdade.