quinta-feira, 31 de março de 2011

10 melhores looks das semanas de moda (paris londres milão) autono/inverno 2011/12

6º) Felipe Oliveira Baptista Paris
cenário pós-apocalíptico, pós-guerra, um mundo despido de mordomias, roupas usadas como agasalhos, cruas, regresso às origens, salpicada pelas cores cruas dos animais selvagens... chique pós vanguarda...

sexta-feira, 25 de março de 2011

a segunda melhor explicação para a existência do jogo político

já repararam quantas pessoas dependem das atribulações políticas para sobreviver nos canais temáticos de notícias, esses que proliferam hoje na televisão por cabo... o que seria dos debitadores de opiniões pobrezinhos? escrever na visão e no expresso aparentemente é redutor... é mais importante a exposição mediática de uma câmara de filmar... porém nunca se leu um artigo da clara ferreira alves sobre o fenómeno...


"TV loves me"

Small and Black

quinta-feira, 24 de março de 2011

se alguém achar que a moda, não é a maior parte das vezes ridícula, verão 2011

take a look (parecem os sapatos que o meu avô usava em 1960 meets bad taste) próprio para festas de aniversário de crianças se o palhaço estiver de folga, it's prada e devem valer uns 500 €, pior são para mulher, quem é que quer uma mulher palhaço?

Le Corps mince de françoise novo álbum

*esta música é do EP anterior

Acid house kings novo álbum

Lykke Li novo álbum

10 melhores looks das semanas de moda (paris londres milão) autono/inverno 2011/12

5º) Iceberg Milão

Girlfriend wardrobe. Casual, fácil, sexy, pronto a vestir no ponto.

em memória de trish keenan

uma das artistas musicais mais inovadora e criativa do último século, ela própria na sua personalidade, desconhecida, mítica, alguém que se tornará um mito inevitavelmente (como todos os mitos que morrem cedo de mais). ignorada a sua morte pela imprensa e crítica (se ela existe verdadeiramente) deste país. trish keenan, inspirou grande parte das bandas da nova geração dos sons da electrónica, e da pop experimentalista, e compôs para mim, 3 dos melhores álbuns que eu tive a oportunidade de ouvir. ela era controversa, distante, e a sua voz possuía na génese aquilo que todos deveríamos ser, uma cópia perfeita do que era como ser humano. trish keenan, inspirou-me, os meus gostos, as minhas preferências, as minhas escolhas, ela própria uma enciclopédia musical de bom gosto. por tudo isto, este ano, é um quase um hiato. trish keenan e os broadcast são tudo aquilo que eu sempre quis musicalmente... se a perfeição existe eles foram quase, quase perfeitos. descansa em paz.

i'm loving this album

terça-feira, 22 de março de 2011

a melhor série de humor do ano (eles são o toque de midas inglês)

com a ausência mais que demorada de uma nova série da diva julia davis, a dupla de criadores de little britain volta à carga (literalmente) agora num aeroporto, com companhias low cost e funcionários estereotipados na perfeição inglesa , óptima para quem viaja no paga pouco (como eu) e acima de tudo, com um nível que não deve nada aos trabalhos anteriores dos seus criadores... eles lá continuam, irrepreensíveis e nós não nos importamos :O)...

é o melhor álbum para descobrir todos os dias (e vai ser um dos melhores do ano com certeza)

o novo da banda indie/punk/electro/whatever that :O) the pains of being pure at heart
álbum Belong ainda sem edição oficial (acho eu)

é o single do momento

não é um álbum fantástico, mas é bem acima da média, nem que seja pelo uso de sons tribais mixado com electrónica básica, vale mais que a pontuação da pitchfork, eu daria-lhe um 7,5/10

10 melhores looks das semanas de moda (paris londres milão) autono/inverno 2011/12

2º)Jonathan Saunders Londres
Cores, cores, estratégia, e estampados perfeitos. Menos geométrico que na estação passada, Jonathan Saunders apresentou o vestuário perfeito, para alguém com um sentido estético apurado, que gosta de cores   que produzem o efeito de bloqueamento, verdes, azuis, pretos, geometricamente, ou em forma de estampados, meio florais, pássaros também, alguém minimalista, discreto, que prefere a subtileza e os apontamentos. Inspiração nos anos 70, como uma bibliotecária num filme futurista de 1978... gostei muito.

10 melhores looks das semanas de moda (paris londres milão) autono/inverno 2011/12

1º)Mary Katrantzou Londres
penso sempre em hotéis com memória quando assisto ao trabalho desta rapariga de origens gregas, penso num Ritz com 200 anos de história com a sua mobília característica, num estilo inglês requintado de certa forma boémio, e um luxo do antigamente transposto para roupa, estrutural, como se decalcasse forros de candeeiros ou aba-jours, usando uma ilusão de 3D quase perfeita, vistas de janelas e varandas em saias estruturais e casacos avolumados, penso num verdadeiro espírito de revivalismo de imagens que se associam imediatamente a um elitismo de famílias nobres, uma verdadeira história em movimento, com um cheiro a colónias indianas, por isso também me lembra manish arora às vezes...

As modas do nosso país

Para além das modas políticas, sociais, religiosas, existem as modas que insistem em aparecer de 6 em 6 meses, e que mudam de local como quem muda de banco conforme a taxa de juro (sim era uma piada).
Esta coisa da moda lisboa que revela tristemente o estado de quem desenha roupa neste país, e a vergonha que o tecido empresarial demonstra todas as vezes em associar-se ao evento, quando a obrigatoriedade da sua presença é exactamente o que se passa em todas as semanas de moda de interesse, assim devendo ser.
Repetem-se as fórmulas do pedincha, do artístico pobrezinho, do pé rapado figura pública que ocupa os lugares destinados à imprensa que não dá importância à semana de moda da capital (pelo menos aquela que interessaria).
Enquanto em França o escândalo (ou não) de Galliano catapultou ainda mais a exposição mediática da semana de moda (houveram pelo menos 3 designers que mudaram de casa imediatamente na ressaca) em Portugal a única vez que se houve falar de moda portuguesa, é quando um miúdo desequilibrado aspirante a manequim decide violentar e matar um velho frequentador do cor-de-rosa português, em pleno centro de nova Iorque.
Por tudo isto, não há motivo para se publicar foto nenhuma da moda lisboa... ano negro.
Deixo apenas um aplauso a Felipe Oliveira Baptista que vai encetar na próxima estação a sua ligação à Lacoste com a primeira colecção da sua autoria, e ainda Fátima Lopes pela persistência.